Esboços Recentes

Esboços

  • SÉRIE DE MENSAGENS - AS BEM-AVENTURANÇAS DE JESUS

    Pregado por Pr. Luiz Roberto Faustino

    0 Comentário

    Continuação...


    QUARTA BEM-AVENTURANÇA: Mateus 5.5 “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos”. 

     

    Para compreender completamente essa expressão, precisamos ter em mente que a fome e a sede são os mais fortes de todos os nossos apetites físicos...

     

    A partir do momento em que temos fome e sede, esses apetites não cessam. Tornam-se mais e mais insaciáveis e exigentes, até que comemos e bebemos, ou morremos...

     

    Coloque um prato de comida, com uma jarra de água fresca e um pote cheio de ouro diante de uma pessoa que está num deserto quase se esvaindo de fome e sede. Qual ele pegará primeiro?

     

    O versículo não fala da fome e sede de justiça devido às injustiças causadas no mundo. Não é na justiça do homem que devemos esperar, mas sim na justiça de Deus.

     

    O versículo fala da fome e sede da justiça de Deus: Mateus 6.33 “Buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça...”

     

    John Wesley (no Livro O Sermão do Monte). Essa fome na alma, essa sede da imagem de Deus, é o mais forte de todos os nossos apetites espirituais, depois que é despertado no nosso coração, absorve todos os nossos outros desejos nesse único grande desejo.

     

    E assim é desde que começamos a ter fome e sede da justiça de Deus. Nós ficamos desejosos de mais e mais dessa justiça...

     

    Por esse motivo que um dos filhos de Corá disse no:

    Salmos 42.1,2 “Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-me a Deus?”.

     

    Essa fome e sede de Deus somente serão saciadas quando estivermos na presença dele... (ninguém pode dizer que já está saciado de Deus...)

     

    Salmos 17.15 Eu, porém, na justiça contemplarei a tua face; quando acordar, eu me satisfarei com a tua semelhança.   

     

    Amós 8.11 “Eis que vêm dias, diz o SENHOR Deus, em que enviarei fome sobre a terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR ”.

     

    Deuteronômio 8.3; Mateus.4.4 “...nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de DEUS”.

     

     

    QUINTA BEM-AVENTURANÇA Mateus 5.7 “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”.

     

    Etimologia da palavra Misericórdia: É a junção de duas palavras em latim: miseratio (compaixão) + cordis (coração). Ou seja, é ter um coração compadecido.

     

    É o mesmo também que ter compaixão pela miséria (pecado, sofrimento) alheio

     

    Misericórdia aparece na Bíblia cerca de 166 vezes, mais 27 vezes no plural Misericórdias. 19 vezes misericordioso e 4 vezes misericordiosos: total 216 vezes na Bíblia em português. 

     

    Quem são os misericordiosos? São aquelas pessoas que reconhecem verdadeiramente a misericórdia recebida da parte de Deus, e que agora dispensam ou agem ou retribuem misericórdia ao seu próximo.

     

    Essas palavras de Jesus já haviam sido escritas no Salmo 18.25,26 Para com o benigno, benigno te mostras; com o íntegro, também íntegro, Com o puro, puro te mostras; com o perverso, inflexível.

     

    Quando reconhecemos essa tão grande misericórdia recebida de Deus, somos desafiados a retribuir da mesma maneira....

     

    Lamentações 3.22 As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim;

     

    Assim como o mar envolve totalmente o peixinho somos totalmente envolvidos pela misericórdia de Deus”

     

    Deus deseja que todo aquele que reconhece que já recebeu a sua misericórdia, retribua o seu próximo com misericórdia também...

     

    Oséias 6.6 “Pois misericórdia quero, e não sacrifícios; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos”.

     

    Mateus 9.13 “Ide, pois, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não sacrifícios. Porque eu não vim chamar justos, mas pecadores”.

     

    Mateus 12.7 “Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios, não condenaríeis os inocentes”.  

     

    Os fariseus eram misericordiosos somente com pessoas do seu nível, não com os publicanos e pecadores...

     

    Quando olhamos para essa bem-aventurança temos que entender que a lei da semeadura também se aplica neste versículo. Na parábola do credor incompassivo, em Mateus 18.23-35 mencionada por Jesus, o ensinamento é que aquele que recebe misericórdia está na obrigação de demonstrá-la e que se assim não o fizer, receberá o mais severo julgamento.

     

    Mateus 6.14,15 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens (as suas ofensas), tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.

     

    Lucas 6.37 Não julgueis e não serão julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados;

     

    Tiago 5.9 Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para não serdes julgados. Eis que o juiz está às portas.

     

    Colossenses 3.13 Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;

     

    Efésios 4.32 Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.

     

    Deus nos concede sua misericórdia sem merecermos, por isso, devemos imitá-lo.

     

    Essa bem-aventurança deve nos levar a entender que todo crente foi e é alvo da misericórdia de Deus e que sem essa misericórdia será impossível receber a graça de Deus.

     

    “Misericórdia é Deus não nos punindo pelos nossos pecados; Graça é Deus nos presenteando com a salvação que não merecíamos”.

     

    SEXTA BEM-AVENTURANÇA: Mateus 5.7 “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.

     

    Humildade de espírito, choro, mansidão, fome e sede de justiça, ser misericordioso, mas agora Jesus faz como que “aprofundasse um pouco mais o prego na madeira...”. O requisito para ver a Deus é ser uma pessoa limpa de coração!

     

    Salmos 24,3 “Quem subirá ao monte de Senhor? Quem há de permanecer no seu santo lugar? 4 O que é limpo de coração, que não entrega a sua alma à falsidade,( vaidade) nem jura dolosamente”. (enganosamente, por falsos deuses).

     

    Eu posso expressar humildade diante das pessoas. As pessoas podem ver o meu choro. As minhas atitudes podem ser de uma pessoa mansa. Eu posso ter fome e sede da palavra de Deus. Posso até agir com misericórdia para com o meu próximo. Mas ser limpo de coração é algo muito mais profundo que somente Deus pode ver.

      

    Jeremias 17.10 “Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o fruto das suas ações”. 

     

    Os líderes judaicos falavam com insistência sobre a pureza cerimonial, a pureza da forma, a pureza da lei. Mas Jesus mostra nesta bem-aventurança que Deus se interessa pelo coração, isto é, pelo homem interior, quanto ao seu caráter na sua própria condição de ser. 

     

    Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus. O termo “coração” refere-se a toda a nossa vida, ou seja, ao nosso pensar, nosso sentir e nosso querer!

     

    Assim como no próprio Deus tudo é verdade, sinceridade e pureza, também os de coração limpo têm a vida cheia de verdade, sinceridade e pureza!

     

    VERÃO A DEUS: São palavras que tem duas Aplicações:

     

    A primeira é imediata. Efésios 1.18 NVI “Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos”.

     

    A segunda é que essa visão interior também tem aperfeiçoamento no futuro. 1 João 3.2 “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é”.

     

    Russel Champlin comenta que Jesus quando disse essa bem-aventurança tinha em mente a passagem de Ester 1.14 que mostra que no império medo-persa, havia sete conselheiros e amigos íntimos que avistavam pessoalmente com o rei.

     

    A condição de ver ou estar diante do rei era ter um coração puro.

     

    O exterior é revelação do interior. O ser é tudo! Aparência não é nada.

     

    Impureza é estar separado de Deus. Porém, aos que são verdadeiros e puros no coração, é dado ver a Deus.

     

    Em que momento você deseja ver a Deus?

     

    Em Jesus você pode ver a Deus agora. Seja limpo de coração!

     

    Em Jesus algo ainda maior acontecerá no futuro para aqueles que são limpos de coração eles verão a Deus

     

    Você quer ver a Deus? Então seja um cristão limpo de coração!

     

    Continua no próximo arquivo...

Comentar

  • Nome
  • E-mail
  • Mensagem